(1) Política & Esporte – Romário

Eleito muito pelo que fez pelo esporte, Romário tenta, visivelmente, lutar por melhorias no esporte brasileiro, em termos de investimento (em estrutura e concepção). Ele luta, parece que fala sozinho sobre o assunto, mesmo tendo crianças especiais como sua principal pauta.

O ‘Baixinho’ apoia e busca apoio de outros para projetos sociais, educacionais e de saúde para inclusão de crianças e jovens especiais na sociedade. A maioria das pautas propostas e sugestões levadas a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados por ele tinham este fim.

Acho digno de aplausos. 


Fuçando nos materiais de trabalho do Romário, você encontra pelo menos 60 projetos de lei que são de autoria ou co-autoria do pentacampeão. Todas as propostas ligadas ao tema educação, ora vinculada a saúde e inclusão, ora com esportes ou tecnologia.

Baixinho tem alguns projetos interessantes já em pauta, ou seja em processo de discussão para votação.

O primeiro deles, o PL-4411/2012, que propõe a eliminação da burocracia de importação de mercadorias destinadas à pesquisa científica.

Acho demais essa ideia, tenho alguns amigos do meio das pesquisas acadêmicas, e agora uma irmã, e sei o quanto a falta e a burocracia em relação a esses materiais atrasa pesquisas, conclusões e principalmente descobertas.

Outro é o requerimento REQ-225/2013 CSPCCO, que pede a Comissão de Turismo e Desporto (CTD) que faça uma audiência pública para saber se é interessante melhorar o sistema de vistos eletrônicos entre o Brasil e os Estados Unidos.

Acho legal isso aí! (interesses)

A maioria dos projetos do Romário estão ligados a CTD, que é um órgão de regimento da casa, que precisa pré-aprovar o testa de qualquer projeto de lei vinculado a ela para que seja lido, discutido e por fim aprovado ou rejeitado no plenário. As comissões no regimento da Câmara também podem arquivar os projetos.

Este foi o caso do requerimento REQ-273/2013 CTD, de junho deste ano que solicitava ao Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, informações relativas ao controle de dopagem na prática esportiva.

Depois de escrever, investigar e falar muito sobre a “Operação Porto” na Espanha, acho que nada mais justo que os controles serem claros no Brasil. Parece que a CTD não concorda comigo ou com o Baixinho. Uma lástima!

Outro ato ridículo da CTD foi arquivar os requerimentos REQ-198/2012 CTD e REQ-200/2012 CTD, que propunham, respectivamente, convite para Andrew Parsons (Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro) e Carlos Arthur Nuzman (Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro) comparecessem a comissão para explicar ações e investimentos. Principalmente os feitos com financiamento público, incentivos fiscais e afins.

Da mesma forma que há outros pedidos de esclarecimentos negados pela CTD que me irritam e que achei pertinente os pedidos.

A CTD ainda arquivou um pedido de esclarecimento, no requerimento RIC-1697/2012, feito ao Ministro Rebelo para explicar o dinheiro dado a Confederação Brasileira de Beach Soccer.  O.o #chocada

Romário goleador do Brasil na Copa do Mundo de 1994

Romário goleador do Brasil na Copa do Mundo de 1994

Eu me perdi na lista de projetos do Romário, prometo que vou achar, mas ele propôs a criação de uma “Semana Olímpica” nas escolas públicas de todo o país.

Achei demais esse projeto porque eu lembrei das Olimpíadas na escola em que eu estudava. Lá no Petronila, uma escola pública do Estado de São Paulo – na época a terceira melhor do estado entre públicas e privadas; Nós tivemos 15 dias de Jogos Olímpicos com muitas modalidades, quadro de medalhas e o mais incrível, a gente usou os jogos como um trabalho de classe.

Durante a primeira semana nós fizemos a parte de pesquisa e confecção do trabalho da turma, no qual o representante da turma sorteava três modalidades realmente olímpicas e a sala falava das histórias destes esportes e dos países onde são populares. Minha sala na época pegou Judô, Hóquei na Grama e Esgrima (me apaixonei por esse esporte aí).

Ainda na primeira semana, a gente treinou nas modalidades. Vocês querem saber em que eu competi, né? Fui ouro nas ‘Damas em Duplas’ e ‘Damas Feminino’; prata no ‘Xadrez Feminino’ e bronze na ‘Queimada’. Pois é, eu fiquei com os jogos mentais e de estratégia … se a gente tivesse piscina eu teria nadado todas as provas.

Para finalizar, eu queria dizer que a ideia foi demais, uniu as classes, criou espírito de grupo em cada turma, impôs além do handebol, esporte oficial da escola.

Sei que na época a escola usou pouco dinheiro da PM (do conselho dos pais) e o resto a gente fez. Os cartazes dos trabalhos e até os uniformes esportivos, que no caso da minha turma fizemos questão de tê-los, foi conseguido por nós mesmos, os alunos.  Foi uma experiência e tanto.

O amigo fluminense que votou no Romário deve estar contente. Além de um exímio goleador, o “Baixinho” é prova de que nem tudo está perdido.

Anúncios