Dia da Música

Vamos falar de música?

Vamos falar de música?

O Dia da Música foi no último dia 21 de junho e este blog nem sequer existia ou estava cotado como uma das minhas possíveis criações.

Entretanto,  essa data é meio que sagrada pra mim. Tuitei sobre a data com hastags em espanhol, inglês e acho que em português (essa não tenho certeza). No post em inglês mandei o link do ao vivo de “World Upon Your Shoulders” do Silverchair, minha banda favorita. Já em espanhol, postei algumas vezes, em uma delas também sugeri uma música, um clássico dos boleros espanhóis, “Penelope”, com link para a versão acústica do brilhante e talentosíssimo argentino Diego Torres.

Vocês devem estar se perguntando: “Por que postar algo com três dias de atraso?”.

Pra mim a resposta é simples: “Todo dia, é dia da música”. Sinceramente não sei viver sem música, é como café e alimentação salgada, mais primordial que rádio de notícia (meu vício, pode reparar eu consigo dar conta das principais todo santo dia).

A ideia deste post me veio agora, quando optei por assistir um filme antes de fazer uns textos para aliviar as ideias. Peguei o filme “Uma prova de Amor” pela metade na tv a cabo, mas uma sequência me chamou a atenção. Aquela parte da história foi contada com um sobe som que tinha como trilha a música “Feels Like Home”, originalmente composta pelo vencedor de alguns Grammys, Randy Newman.

A história do filme, ao qual nunca havia assistido, era meio triste, mas eu não sou daquelas que chora vendo uma formiga morrendo afogada no orvalho. Então, eu estava suportando bem até surgir essa sequência com a música. A letra é forte, mas é tranquila de encarar – nada tipo Daniel Johns, do Silverchair, me descrevendo e ‘despindo’ nas letras. O que pegou em mim foi a interpretação.

Eu sou muito chata com música, muito mesmo, e se tem uma coisa na qual me ligo é a interpretação. Nela, a técnica bate e volta como recalque, e a emoção vem à flor da pele, seja qual for.

No caso específico do filme, a interpretação é da irlandesa Edwina Hayes. Confesso que conheço pouco o trabalho dela, mas já posso dizer que ela tem uma das mais puras vozes que eu já ouvi na vida (e olha que eu já ouvi um bocado delas).

Outra coisa curiosa em relação a música é que eu tenho uma memória sensorial bem interessante (no meu ponto de vista), ouvi a música no filme e sabia que já a conhecia. Falei com meu amigo Google e descobri que minha memória estava certa. A versão que eu conhecia era da canadense Chantal Kreviazuk, que dez anos antes de Edwina, em 1999, gravou a música para trilha  daquela série Dawson’s Creek  (da qual eu não gostava, pasmem!).

No exato momento em que posto este post, ouço algo que compartilhei no Dia da Música. Estou sob a trilha da banda de rock espanhola El Sueño de Morfeo. Eles são da região das Astúrias e têm uma mulher, Raquel del Rosario (ex-mulher do anão piloto de F1 Fernando Alonso), nos vocais. Raquel tem uma voz belíssima e e suas interpretações são bem emocionais.

Então, para celebrar o dia os deixo com uma deles que gosto muito: “El Coleccionista de Atardeceres” (O colecionador de Pores-do-sol). A música não tem vídeo clipe, então ouça com legenda, digo letra.

Espero que gostem!

Ariane Ferreira

Anúncios